Próximo Workshop de Visã Natural brevemente. Fique atento(a)!

Miopia: As suas Causas Físicas e Emocionais

Incapacidade de ver nitidamente objectos distantes, vulgarmente conhecida como vista curta.

Idade: geralmente dá sinais na altura da puberdade.
Genética: por vezes é hereditária.
Sexo e estilo de vida: não são factores determinantes.

Para que possamos ver nitidamente, os raios luminosos têm de ser focados pela córnea, situada na parte anterior do olho, e pelo cristalino, de modo que seja formada uma imagem nítida na retina, a membrana sensível à luz localizada na parte posterior do olho.

Nas pessoas com miopia (vista curta), o globo ocular é demasiado longo para a capacidade de focagem combinada de córnea e do cristalino. Os raios luminosos provenientes dos objectos distantes são, por conseguinte, desviados em demasia e focados à frente da retina, resultando numa visão turva.

Quais os seus sintomas?
Os sintomas da miopia são, muitas vezes, detectados na puberdade, mas o problema pode começar a desenvolver-se alguns anos antes. Quanto mais cedo surge a miopia, mais acentuada esta se torna. No entanto, o problema geralmente estabiliza no início da idade adulta, quando o crescimento pára. 

Os principais sintomas são:
- Dificuldade crescente em ver nitidamente objectos distantes,
- Falta de aproveitamento escolar nas crianças por estas não terem uma visão nítida.

Os oftalmologistas, normalmente, receitam óculos ou lentes de contacto para corrigir a miopia. Nos casos ligeiros efectuam-se cirurgias a laser. Cirurgias estas, no geral, dispendiosas.

Através da prática regular de exercícios de ginástica ocular, muitas pessoas se curaram da miopia deixando de recorrer aos óculos e às lentes de contacto.

As suas causas emocionais
O míope tem medo do que pode acontecer no futuro. Basta recordar-se do que tinha medo, em relação ao futuro, no momento em que se tornou míope, para conhecer a causa da miopia.

De observar que vários adolescentes se tornam míopes na altura da puberdade. Têm medo de passar a ser adultos, pois o que observam do mundo adulto é para eles inseguro. Além disso, a pessoa míope tem muitas vezes a ver comparativamente com os interesses dos outros. Tem mais dificuldade em se abrir às ideias dos outros do que à suas. Falta-lhe abertura de espírito.

Quem não quer olhar de frente os factos da vida, vive de maneira míope. No entanto, a miopia pode ser reduzida de forma muito significativa a partir dos 20 anos, provavelmente na medida em que se ganha «vista».

Uma pessoa míope pode distinguir muito bem as coisas próximas, enquanto as mais longínquas parecem-lhe confusas. A pressão para obter um rendimento óptimo e o stresse encontram-se entre as causas deste transtorno da visão, mas sobretudo, a preferência pelos alimentos doces e uma dieta deficiente ajudam o seu desenvolvimento. A nutrição escassa determina a sua grande incidência nos países pobres do Terceiro Mundo.

As pessoas míopes são, normalmente, tímidas e introvertidas. São pessoas que se dedicam, também, à leitura ou ao trabalho diário com computadores, logo, à custa do fortalecimento da sua visão próxima.

Fontes consultadas para este artigo:
- BOURBEAU, Lise - "O teu corpo diz "Ama-te": A metafísica das doenças e do mal-estar". Cascais: Pergaminho, 2002
- DORLING KINDERSLEY - "Enciclopédia médica da família". Porto: Livraria Civilização Editora, 2001
- TEPPERWEIN, Kurt - "O que a tua doença te quer dizer: a linguagem dos sonhos". Cascais: Pergaminho, 2000